Obras paradas na região metropolitana de Recife

novembro 16, 2015 0 Por jadson

Por: Isaías Dalle

Greve por tempo indeterminado atinge 350 canteiros. Patrões querem “abolir” reajuste. “Sem aumento, não tem apartamento”, diz Sindicato

Greve da constr0b2118ceb7b3187dec4daca3664dd04cução civil deixou em silêncio todos os canteiros de obras da região metropolitana do Recife, desde a manhã desta segunda-feira.

A informação é do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e Pesada de Pernambuco, o Marreta. Na capital pernambucana e nas cidades vizinhas já são 350 as obras em greve.

“A greve está muito bonita. Uma lindeza”, avalia a presidenta do Sindicato, Dulcilene Carneiro de Morais, em entrevista por telefone. Das obras em greve, 60 são empreendimentos residenciais em fase de acabamento. “Quem comprou quer receber na data prevista. Isso deve servir como elemento de pressão sobre as construtoras: se não dá aumento, não tem apartamento”, explica Dulcilene

A principal razão da greve é que os patrões não querem pagar aumento este ano, nem mesmo repor a inflação. A data-base da categoria no Recife é outubro. Até o momento, o sindicato patronal ainda insiste em dizer que não há condições de conceder reajuste.

Na tarde desta segunda, nova assembleia, na sede do Sindicato, decidiu pela manutenção da greve por tempo indeterminado. Houve assembleias também nos canteiros de obras.Assembleia no sindicatoAssembleia no sindicato

A pauta de reivindicações inclui um aumento real de 20%, vale-compras de R$ 200, a manutenção da jornada de trabalho atual, de segunda a sexta, sem expediente aos sábados, e hora extra de 100% sobre a hora normal.